Filme Sobre Autoconfian A

5 livros de noite com t5i Erros de poses para fotografia newborn

A insolvabilidade de um prudonizm também confirmou-se pela experiência da Comuna de Paris quando muitos erros se uniram com a influência de ideias de Prudon. No entanto o prudonizm é um arsenal do qual e hoje esvaziam ideias de reformar do capitalismo, teorias insignificantes e burguesas "capitalismo de todas" várias correntes de anarquismo, reformism social, um revisionismo, e também teoristas de conceitos neo fascistas.

Concerniremos este conceito aqui, tendo posto de lado ideias de Prudon como filósofo, o moralista e o gosudarstvoveda-teorista. Os últimos representam o interesse demasiado considerável, mas nos concernem enquanto influíram em Prudon como no economista.

O objeto transcendental foi para Prudon um mecanismo da operação do funcionário alugado. Identificou a capital e um produto, o movimento de toda a capital reduzida ao movimento daquela parte sua que traz por cento. Prudon considerou o movimento da capital de empréstimo como a transação entre o credor e o tomador de empréstimo. Explicou a nomeação pelo capitalista da parte de um produto a que é necessário acrescentar por cento da capital usada a preços da produção. No sistema teórico de Prudon os por cento atuam como a forma principal da operação do trabalho. Assim não entendeu a relação mútua entre por cento e sistema da operação do funcionário alugado.

Ele, por isso é equivalente à igualdade. Se aplicarmos esta definição às relações econômicas de pessoas, encontraremos, "isto o princípio da reciprocidade do respeito logicamente transforma-se no princípio da reciprocidade de serviços". Realizar a equivalência de serviços - tal é a necessidade de pessoas; só graças a ele a igualdade se respeitará. "Faça para outros que quer o que lhe fez", é o princípio da justiça eterna na língua econômica exprime-se em reciprocidade e interação de serviços. A reciprocidade ou mutuellisme (mutualizm), - tal são o novo princípio que tem de dirigir-nos na organização das relações econômicas da sociedade.

Como em conjunto com todos os socialistas, os seus predecessores, Prudon reconhece produtivo só trabalham. Sem esforço tanto a terra como as capitais permanecem improdutivas. Daqui: "O proprietário que exige um prêmio pelos instrumentos do trabalho e para a força produtiva da terra assume a existência da situação absolutamente incorreta que as capitais podem fazer algo, e, forçando outros a trazê-lo é o produto imaginado, literalmente recebe algo para algo".

Depois que a publicação dos primeiros economistas de libelo difamatório encontrou o crítico forte em Prudona, e foi fácil abrir para eles nele não o oponente menos resoluto de socialistas. Vamos rever resumidamente a sua atitude em direção ao último.

Assim, a crítica do socialismo conduz Prudon à clarificação de bases positivas do sistema, e agora ao mesmo tempo fica claro, em que nova olhada o problema social não se põe antes dele, compõe-se, de um lado, na destruição "do rendimento imerecido" da propriedade como é o rendimento há uma negativa do princípio da reciprocidade de serviços, de outro lado, compõe-se em proteção da propriedade, liberdade de trabalho e comércio. Em outras palavras, é necessário destruir o atributo principal da propriedade, mas não não mencionar nem a propriedade, nem a liberdade.

A divisão do trabalho, em Prudona, tem dois partidos: bom porque fomenta o crescimento da prosperidade, e mal (condutas ao crescimento de pobreza, pobreza, desemprego). A tarefa compõe-se na eliminação mal e "para melhorar" a economia de mercadorias capitalista.